Nenhum político presta?

A cada dia que passa vemos algum político sendo investigado, acusado, julgado ou condenado por algum crime. Isto não significa que todos os políticos são criminosos que ainda não foram descobertos. Há uma imensidade de políticos honestos e comprometidos com a causa pública, mas, não aparecem.

É paradoxal que pessoas que dependem do marketing pessoal para se eleger, não conseguem deixar claro para seus eleitores e para a população de um modo geral que são diferentes dos que estão nas páginas policiais. Fazem promoção pessoal na época de campanha, mal ocupam e ocupam mal as redes sociais e não divulgam aos quatro ventos que não são joio, são trigo.

Também pudera, trabalham com marqueteiros “fazedores de marketing”, um ótimo adjetivo para o tipo de profissional que os apoia, alguns deles como João Santana e Duda Mendonça estão cheios de processos. Há outros que vendem ilusão mas não entregam a realidade. Dois exemplos:

– Lembram da logomarca do programa “Fome Zero”? Uma bandeira do Brasil estilizada, transformada em uma toalha de mesa cujo círculo central foi substituído por um prato? Pois é, um prato representado…vazio. Continuou vazio.

– João Doria, prefeito eleito na cidade de São Paulo, aquele que prometeu “prefeitar” durante quatro anos, mas já quer ser Governador. Eu o apelidei de “João Doriana” alusão à marca de margarina muito melhor do que ele. João Doria é isso; parece manteiga, tem cor de manteiga, tem consistência de manteiga, mas é só margarina.

Políticos no exercício do mandato, deveriam convidar jornalistas dos principais veículos de comunicação para acompanha-los durante uma semana. A esmagadora maioria deles e a totalidade dos honestos tem uma extensa e cansativa agenda diária. Poucos jornalistas aguantariam o baque. Porém não interessa essa pauta, como dizem os jornalistas, notícia boa não vende jornal.

Políticos, deixem de acreditar em marqueteiros, acreditem em si mesmos, escolham bons assessores de imprensa, bons administradores de redes sociais e divulguem-se.